Viajar com o CPAP

O tratamento da apneia do sono não é impedimento para viajar. No entanto, é muito importante que continue a sua terapia durante as férias.
Viajar com o CPAP

Os equipamentos CPAP são compatíveis com todo o tipo de viagens e destinos. Antes de viajar, deverá preparar-se com antecedência e considerar algumas informações.

Antes de viajar:

Crie uma lista com as suas necessidades: máscara, arnês, circuito, fonte de alimentação, equipamento e humidificador (se necessário). Leve sempre o CPAP na bolsa de transporte.

Alguns países usam correntes elétricas e tomadas diferentes. Se viajar para fora de Portugal, certifique-se que leva o adaptador de alimentação ou o cabo adequado. Usar a corrente errada sem um adaptador pode danificar o equipamento.

Esvazie a água do humidificador antes de o colocar na mala.

Se viajar com frequência, invista num CPAP portátil. Poderá também considerar a hipótese de adquirir acessórios extra para a máscara e o circuito, assim como uma bateria portátil para conseguir utilizar o equipamento durante a noite, sem estar ligado à corrente.

avião

Posso levar o CPAP no avião?

Sim – é um dispositivo médico e por isso deve ser transportado como bagagem de mão. O equipamento deve passar pelo scanner fora da bolsa de transporte. Para facilitar o processo leve uma cópia da sua prescrição médica e o manual de utilizador do equipamento. Se pretender utilizar o CPAP durante o voo, questione primeiro a companhia aérea. Algumas podem não permitir, apenas com aprovação prévia. O humidificador convencional não é autorizado durante o voo.

É facil viajar com a apneia do sono!

Viagem de avião

Tenha em consideração

  • Altas altitudes podem tornar o CPAP menos eficiente, no entanto é recomendável o seu uso.
  • Mesmo sem tomada elétrica disponível, poderá utilizar o equipamento sem bateria até 8 horas.
  • É perigoso usar oxigénio enquanto utiliza o CPAP sem bateria.
  • Tenha cuidado: durante as deslocações é fácil danificar o CPAP.
avião

Como o jet lag afeta a apneia do sono?

Uma mudança rápida para um novo fuso horário interfere com o relógio biológico: o famoso jet lag. Durante o período de adaptação, os sintomas do jet lag podem fazer-se sentir durante o dia através da sonolência, fadiga e mau estar geral, alterações gastrointestinais e, à noite, pela insónia. Conheça algumas dicas:

  • Quando chegarem as férias, verifique antecipadamente se terá de se ajustar a um novo fuso horário.
  • Se for uma viagem curta (menos de 3 dias), não altere os seus horários. Isto implica manter horários rigorosos de dormir e comer no seu fuso horário.
  • Opte por voos diurnos.
  • Combata os sintomas de jet lag através da exposição à luz e os horários das refeições nos momentos certos.

Referências

Ryanair. (n.d.). Transporte de Equipamento Médico [Review of Transporte de Equipamento Médico]. Ryanair; Ryanair. https://help.ryanair.com/hc/pt/articles/360017683077-Transporte-de-Equi… Resmed. (2021).
AirSense 10 User Guide (Resmed, Trans.; p. 11) [Review of AirSense 10 User Guide].https://document.resmed.com/documents/products/machine/airsense-series/…
EasyJet. (n.d.). Medicamentos, condições médicas e equipamento [Review of Medicamentos, condições médicas e equipamento [Review of Medicamentos, condições médicas e equipamento [Review of Medicamentos, condições médicas e equipamento]. EasyJet. https://www.easyjet.com/pt/ajuda/embarque-e-voo/medicamentos-equipament…
Reis, B., & Rebocho, S. (2021). Diário do Sono by: O teu mal é sono (1o ed., pp. 81–82) [Review of Diário do Sono by: O teu mal é sono].